Google-Translate- Chinese Google-Translate-Portuguese to French Google-Translate-Portuguese to German Google-Translate-Portuguese to Italian Google-Translate-Portuguese to Japanese Google-Translate-Portuguese to English Google-Translate-Portuguese to Russian Google-Translate-Portuguese to Spanish

julho 04, 2013

Pode o espírito do homem, após a morte, voltar a terra?

[Clique na imagem para baixar versão PDF]


“Pai, eu te imploro que o mandes à minha casa paterna.” [Lucas 16.27]

Veio em minha mente o esclarecimento, pela inspiração do Espírito Santo e pela misericórdia de Deus, ao ler as Sagradas Escrituras, e o ardente desejo em meu coração de escrever sobre esse assunto, pois são tantas as pessoas que estão enredando-se a caminhos tortuosos que não os levam a Deus, por deixar-se influenciar por ensinamentos tão errôneos, ensinamentos esses que os levam a praticar tudo aquilo que Deus, segundo a Sua Palavra, é abominação.

A Bíblia Sagrada é minha fonte de inspiração onde está descrita toda a verdade, e é nesta Palavra que estou fundamentado, pois tudo que contém nela que outrora foi escrito, para o nosso ensino foi escrito, a fim de que, pela paciência, e pela consolação das Escrituras, tenhamos esperança[1], porque toda Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra[2]. Basta, então, a cada um de nós, buscarmos a direção do Espírito Santo para chegarmos ao pleno conhecimento da verdade, e se pedirmos ao Senhor, nossos olhos se abrirão e contemplaremos as maravilhas de Sua Lei[3].

Pode o espírito do homem, após a morte, voltar a terra? A esta pergunta, que encontramos diversas respostas por aí a fora, na Bíblia sagrada, há uma resposta que nos arremete a uma única possibilidade do espírito do homem, após a morte, voltar a terra. De antemão, já afirmo, fundamentado nesta Palavra, que o espírito do homem, após a morte, não pode estar vagando na terra de um lado para outro nem tão pouco pode comunicar-se com os que ainda estão vivos.

Há várias crenças que ensinam sobre esse assunto e seus autores afirmam, com toda convicção, que suas teorias são verdadeiras, e com isso despertam a curiosidade de muitos. Esses ensinamentos, em sua maioria, distorcem a verdade que há na Palavra de Deus, pois se estudarmos as Sagradas Escrituras, pedindo a Deus a orientação do Seu Espírito Santo, logo descobriremos que essas teorias não são verdadeiras. Há aqueles que ousam usar as próprias Escrituras Sagradas como base para enriquecer suas “sábias palavras” e difundir seus ensinamentos para obter total credibilidade diante do povo, pois se o povo acreditar que suas teorias são verdadeiras, consequentemente, eles obterão o maior número de adeptos possíveis, que serão conduzidos por um caminho que parece direito ao homem, mas o seu fim são os caminhos da morte[4].

O homem, por possuir em seu coração o desejo desenfreado em conhecer tudo aquilo que lhe é proibido, deixa-se conduzir por tais guias cegos, luz dos que estão em trevas, instrutor dos néscios, mestre de crianças, que tens a forma da ciência e da verdade na lei [5], e mergulham de cabeça em suas teorias e em suas práticas sem saber seu o fim. Infelizmente, o homem é capaz de fazer qualquer coisa para realizar o que deseja em seu coração, vai além dos seus limites para alcançar seus objetivos, ele prefere, por assim dizer, ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma [6] do que buscar a verdade que está em Cristo.

Mas há uma questão de princípios em tudo quanto acontece aqui em nosso mundo, pois, assim como Deus colocou a areia por limite ao mar, por ordenança eterna, para ele não ultrapassar dali e inundar a terra [7], creio eu, que também Ele colocou um limite na mente humana para que o homem não se orgulhe em suas próprias forças, para que seu agir seja do mesmo modo como seu anjo, Lúcifer, o fez antes. Por mais que o homem seja capaz, por mais que sua mente seja brilhante e sua inteligência seja superior a de vários outros homens, assim como Salomão que alcançou tão grande sabedoria, jamais ele conseguirá ir além dos limites que Deus determinou para ele, pois o que não alcançamos com a nossa própria sabedoria, só poderemos alcançar através da revelação de Deus por intermédio do seu Espírito santo. As Sagradas Escrituras é a nossa fonte de todo o conhecimento de Deus, que precisamos a cada dia nos alimentar dela para que possamos aprender a viver uma vida correta diante de Deus, e, então, desempenharmos o papel que nos cabe para que Seu propósito seja realizado conforme a Sua vontade e a Ele seja tributado toda honra, toda glória e todo louvor!

Há muitos outros escritos espalhados pelo mundo que nos ensinam sobre os mais diversos assuntos, que não estão fundamentados nas Escrituras Sagradas, e inúmeras teorias criadas por homens que, por possuírem conhecimento, por possuírem uma alta posição na sociedade e exercerem uma profissão importante, ou até mesmo por serem líderes religiosos, se tornaram “verdadeiras” e não há ninguém que se ache hábil para questioná-los, pois sua credibilidade para com o povo é incontestável, mesmo que seus ensinamentos não estejam fundamentos na Bíblia, são aceitos pela maioria. Essa maioria que aceitam esses ensinamento não procuram examinar seus conceitos, aceitam-os em sua ignorância, jamais questionam sobre seus fatos, apenas aceitam e dizem: “se foi fulano que disse, então, aceito!”, e assim o é até os dias de hoje, mas a Bíblia diz: “O meu povo se perde por falta de conhecimento” [8].

I. De acordo com o nosso tema, vamos, primeiramente, examinar a passagem de I Samuel 28:3-20: SAUL CONSULTA UMA MÉDIUM.

Muitos usam essa passagem da Bíblia para fundamentar suas teorias de que podemos, sim, nos comunicar com os mortos, e que os seus espíritos estão vagando por sobre a terra. Alguns formulam suas teorias baseando-se que, como Saul era servo de Deus, e usou dessas práticas para falar com o espírito de Samuel, da mesma maneira, nós podemos falar com os espíritos de nossos familiares, mas é preciso estudar o texto – não só o texto, mas também o seu contexto, e a Bíblia por completo, se for necessário – para entendermos essa passagem. A Bíblia deve ser a nossa única fonte, o nosso alicerce para que a verdade venha ser revelada.

O que a Bíblia nos diz a respeito dessas práticas?

Na Bíblia encontramos várias passagens que nos ensinam e nos advertem sobre essas práticas. Em Isaías 8:19, 20 está escrito que “quando vos disserem: ‘ide consultar algum médium que fale com os espíritos; adivinhos ou alguém que saiba murmurar encantamentos!’, porquanto o povo costuma recorrer aos seus deuses e aos mortos em favor dos vivos, respondereis: ‘O que se deve fazer é consultar a lei e os ensinamentos!’ Se eles não falarem de acordo com esta palavra, certamente jamais poderão ver a luz!”. Já desde aqueles tempos antigos existiam povos que faziam uso dessas práticas, povos esses que não viviam de acordo com os ensinamentos das Santas Escrituras, pois eles cultuavam a outros deuses, e não ao Deus único e verdadeiro, Criador dos céus e da terra. Então, o povo de Deus era advertido para que quando alguém dissesse para eles irem consultar pessoas que faziam uso de tais práticas, era para eles responderem dizendo que era a Lei e os ensinamentos – a Palavra de Deus – que devia ser consultadas, pois se aqueles povos não falassem de acordo com a Palavra de Deus, certamente jamais poderiam ver a luz da revelação divina.

Prever o futuro ou fazer uso de adivinhação era – e ainda hoje é, pois a Palavra de Deus não mudou – abominação aos olhos de Deus, e Ele não quer ver o Seu povo buscando o que trás contaminação para suas vidas, tanto espiritual como física e mental: “Não os busqueis, contaminando-vos com eles. Eu sou o SENHOR vosso Deus” [9]. O fato do povo se virar para os adivinhadores e encantadores para se prostituir com eles (é essa a expressão usada na Bíblia), com consequência disso Deus colocaria a Sua face contra eles e arrancá-los-ia do meio do Seu povo[10]. Havia, também, uma punição para homens ou mulheres que em si tivessem um espírito de necromancia ou espírito de adivinhação, sua sentença era a morte; seriam apedrejados e o seu sangue seria sobre eles[11]. Deus é Santo, e todas essas práticas vão de encontro com Sua santidade. O povo de Deus estava indo habitar em uma terra em que, os povos que ali habitavam, praticavam tudo quanto o que era abominável ao Senhor, por isso Ele os advertia:

“Quando entrares na terra que o SENHOR teu Deus te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações. Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao SENHOR; e por estas abominações o SENHOR teu Deus os lança fora de diante de ti. Perfeito serás, como o SENHOR teu Deus. Porque estas nações, que hás de possuir, ouvem os prognosticadores e os adivinhadores; porém a ti o SENHOR teu Deus não permitiu tal coisa [12].

Por que Saul foi consultar uma médium?

Saul era um servo de Deus, escolhido para reinar sobre Israel, mas procedeu nesciamente em não guardar o mandamento que o SENHOR seu Deus lhe ordenou, pois se ele não tivesse agido assim, o Senhor teria confirmado o seu reino sobre Israel para sempre [13]. A sua desobediência e as suas más atitudes trouxeram tristeza ao coração de Deus, pois ele deixou de segui-lo, não executando as Suas palavras, e Samuel profetizou uma dura sentença da parte de Deus para a vida de Saul:

Tem porventura o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à palavra do SENHOR? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros. Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e o porfiar é como iniquidade e idolatria. Porquanto tu rejeitaste a palavra do SENHOR, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei[14].

Então, no capítulo 28, Saul fica apavorado – pois o Espírito do SENHOR se retirou dele, e atormentava-o um espírito mau da parte do SENHOR [15] – porque os filisteus estavam acampados em Suném, e procura Saul, desesperadamente, consultar ao Senhor, porém este não lhe respondeu, nem por sonhos, nem por Urim, nem por profetas (verso 6). Essa é situação do homem que se afasta de Deus! O desespero de Saul foi tão grande, pois temia ser derrotado pelo exército inimigo, que o levou a usar de práticas que ele aprendera que era abominável aos olhos de Deus, pois ele mesmo, quando ainda guiado pelo Espírito do Senhor, tinha removido do seu reino essas pessoas que praticava tais abominações.

Era mesmo o espírito de Samuel que subiu para falar com Saul?

Essa passagem de I Samuel 28 é muito intrigante, pois se não prestarmos atenção no texto vamos tirar conclusões precipitadas, como um dia eu também o fiz. A parte do texto que mais me prende a atenção é a partir do verso 11 quando a mulher pergunta a Saul “quem te farei subir?” Neste momento (faço uso da expressão que ela entra em transe e o “sobrenatural” começa acontecer), ela reconhece Saul, mesmo ele estando ainda disfarçado. Alguns teólogos dizem que ela se assustou porque não era acostumada a ver tais coisas, mas podemos dizer que não era a primeira vez em que ela fazia parte desses eventos, pois ela fazia do uso dessa prática como uma profissão. Ela viu um deus que subia da terra; viu subir um ancião, que estava envolto numa capa. Ela vê um espírito, porém não o identifica como sendo Samuel, mas é Saul que entende que é o espírito de Samuel que está ali, então, inclina-se com o rosto em terra e se prostra diante dele. A Bíblia não diz que Saul vê o espírito, mas que, pela descrição, ele entende, ou melhor, ele acha que era Samuel. Observe que os encontros de Saul com Samuel, nos capítulos anteriores, aparentemente, não era costume dele prostrar-se diante de Samuel (pelo menos a Bíblia não relata), mas por encontrar-se muito angustiado toma essa “atitude de reverência” para ouvir a “direção de Deus” que tanto buscava para aquela ocasião.

Para afirmarmos que foi mesmo o espírito de Samuel que subiu a terra naquela sessão, precisamos estudar a sua história e ver quem ele era. A Bíblia nos revela que o ministério profético de Samuel começou quando ele ainda era pequeno, quando ele ainda não tinha conhecido o Senhor, e ainda não lhe tinha sido manifestada a palavra do Senhor [16]. Samuel foi instruído na lei do Senhor e aprendeu a temer a Deus, o Todo-Poderoso. A Bíblia diz que “crescia Samuel, e o Senhor era com ele, e nenhuma de todas as suas palavras deixou cair por terra[17]. Tudo o que Samuel falava, Deus fazia-se cumprir na terra, e todo o Israel, desde Dã até Berseba, conheceu que Samuel estava confirmado como profeta do Senhor [18]. Entendemos que, mesmo que o espírito Samuel pudesse “subir” a terra – pois biblicamente não poderia – ele jamais atenderia ao chamado de uma pessoa com o espírito de necromancia, porque ele temia a Deus e todas as suas ações, durante toda a sua vida foi para glorificar ao Deus que o criou, jamais ele faria parte de uma prática que era abominável aos olhos do Deus de Israel.

Agora, se compararmos as palavras do suposto Samuel ditas a Saul, veremos que suas “palavras proféticas” não se cumpriram conforme ele dissera. As palavras que o espírito fala, referente ao que tinha acontecido antes, foram para tornar a sua aparição, aos olhos de Saul, verdadeiras. Mas, no verso 19, quando ele prever o futuro, que o Senhor vai entregar Israel, juntamente com Saul, nas mãos dos filisteus, e que no dia seguinte, ele e seus filhos estarão com ele, e que o Senhor entregará aos filisteus o acampamento de Israel, não acontecem assim como é dito; primeiro, Saul não é entregue nas mãos dos Filisteus como ele previu, na verdade, Saul se suicida, conforme está escrito em I Samuel 31:4, tampouco Saul morre no dia seguinte, ele morreu cerca de 18 dias depois (I Samuel 30:1. 10, 13, 17; II Samuel 1:2); segundo, todos os filhos de Saul não morreram, como também foi previsto, pois sobreviveram três de seus filhos: Is-Bosete, Armoni e Mefibosete (II Samuel 2:8-10; 21:8).

Se não era o espírito de Samuel, quem era o espírito que falou com Saul?

Se você ainda tem dúvidas em relação ao espírito que “subiu” e falou com Saul, a Bíblia nos fala da existência de anjos caídos que são denominados de espíritos maus ou imundos e/ou demônios. São esses seres que a Bíblia descreve que andam vagando por sobre a terra, não o espírito do homem, após a morte. Em Jó 1:7 está descrito um diálogo entre o Senhor, nosso Deus, e satanás, onde Deus pergunta a ele: Donde vens?”, e ele responde: “De rodear a terra, e passear por ela”. Jesus também nos fala, em Mateus 12:43-45, que esses mesmos espíritos imundos tem saído do homem, andam por lugares áridos, buscando repouso, e não o encontra. Então diz: Voltarei para a minha casa, de onde saí. E, voltando, acha-a desocupada, varrida e adornada. Então vai, e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele e, entrando, habitam ali; e são os últimos atos desse homem piores do que os primeiros. É baseado nas Sagradas Escrituras que afirmamos que, aquele espírito que falou com Saul, não era o espírito de Samuel, mas um espírito maligno que subiu para enganá-lo. Você pode se perguntar, como pode ser isso? Em II Coríntios 11:14 está escrito que o próprio satanás se transforma em anjo de luz. Esse versículo fala de uma capacidade que o demônio tem de alterar sua aparência para enganar a muitos, assim como enganou Saul.

II. A segunda passagem que vamos examinar é Lucas 16:19-31: O RICO AVARENTO E LÁZARO. Da mesma forma que a passagem de I Samuel 28 é usada para fundamentar a crença de que podemos conversar com os mortos, e nos “provar” que eles andam vagando por aí, esta passagem de Lucas é usada da mesma maneira.

Alguns teólogos fazem uso, erroneamente, do verso 26, descrito nessa passagem: “Além disso, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que quisessem passar daqui para vós não poderiam, nem tampouco os de lá passar para cá”, para afirmar que os mortos não podem se comunicar com os vivos nem muito menos subir a terra, pois existe um abismo entre nós e eles, quando na verdade a Bíblia nos deixa bem claro que esse abismo está posto entre o seio de Abraão, onde estão Abraão e Lázaro, e o inferno, onde está o rico avarento. Não precisamos “mudar” o local desse abismo para justificar que os mortos não podem se comunicar com os vivos nem tão pouco vir até nós. Para trazer para luz quem está na escuridão, temos que mostrar-lhes a verdade como ela é, dentro do contexto do texto, que só a Santa Escritura tem, aí sim, salvaremos muitas almas que estão à mercê dessas práticas que são abominação aos olhos de Deus, que estão sendo guiados por caminhos que levam a morte.

Na Bíblia Sagrada, de Gênesis a Apocalipse, não encontramos proibição dos vivos se comunicarem com os mortos; a proibição que existe para o povo de Deus, como vimos no começo da mensagem, é consultar as pessoas que fazem tal prática, porque essas práticas são feitas por pessoas que se envolveram com o mundo das trevas, através dos anjos caídos, que são os espíritos malignos, e não através das coisas divinas, que são santas, pois se assim não fosse, não era abominação aos olhos de Deus.  Então você dirá: “Eu conheço fulano, que é uma boa pessoa, que trabalho com prática tal, ele fala em Deus, etc., etc.”, mas não sou eu que estou dizendo que essas práticas são erradas, é a Palavra de Deus! Você deve estar se questionando agora, como não existe proibição dos vivos se comunicarem com os mortos?

Quero dar um exemplo bem simples para que você entenda: digamos que você está, juntamente com seu filho, diante de um imenso paredão, tanto alto como largo, sem nenhuma passagem para o outro lado, ou seja, sem portas nem janelas; está na cara que é impossível que ele possa passar para o outro lado. Você, então, o proibiria de passar para o outro lado? Creio que não, porque é impossível! Mas se tivesse uma fresta, por menor que seja, que você imaginasse que ele conseguiria passar, aí sim, você lhe diria: “Eu o proíbo de passar para o outro lado!”. É essa a questão, a Bíblia só proíbe ao homem fazer – que trará dano a sua vida tanto física como espiritual – o que está ao seu alcance, ou seja, o que lhe é possível fazer. Veja, no Jardim do Éden, Deus proibiu Adão e Eva de comerem do fruto do conhecimento do bem e do mal, porque era – e o foi – possível a eles realizar essa ação. A Bíblia não proíbe a comunicação dos vivos com os mortos pelo simples motivo de ser impossível. É por isso que não encontramos na Bíblia essa proibição, até mesmo porque, para haver uma comunicação entre os vivos e os mortos, o espírito daquele que morreu teria que subir a terra, e, dessa maneira, não lhe é permitido por Deus.

Mas existe uma única possibilidade do espírito do homem voltar a terra! E qual seria essa possibilidade? Encontramos nossa resposta no último versículo do capítulo 16 de Lucas quando Abraão responde ao rico dizendo: “se não ouvem a Moisés e aos profetas”, que estão vivos, “tampouco acreditarão, ainda que algum dos mortos ressuscite. Está é a única possibilidade do espírito do homem, após a morte, voltar a terra: através da ressurreição. Veja, Moisés não disse: “ainda que o espírito dos mortos falem com eles”, mas ele disse: “que algum dos mortos ressuscite. E a nossa Bíblia está cheia de exemplos de pessoas que foram ressuscitadas.

Lázaro, amigo de Jesus, depois de quatro dias de morto [19], seu espírito voltou a terra, e ele reviveu e uma grande multidão presenciou o grande milagre da ressurreição. A filha de Jairo [20], seu espírito também voltou a terra, e ela também reviveu e todos viram o milagre da ressurreição. Nosso próprio Salvador, Jesus Cristo, o Unigênito Filho de Deus que veio a esta baixa terra, ao terceiro dia, o seu espírito voltou a terra, e Ele ressuscitou dentre os mortos [21]. E a Bíblia também nos diz que no dia da vinda de Cristo os mortos ressuscitarão primeiro [22], ou seja, seus espíritos voltarão a terra, e nós, os vivos, teremos nossos corpos transformados num corpo glorioso. Deus nos deixou a Sua palavra que é nossa fonte de todo conhecimento. E Ele continua dizendo: “O meu povo se perde por falta de conhecimento”.

Não adianta você seguir conceitos e teorias, seitas e religiões, que em seus ensinamentos distorcem o que está escrito na Bíblia. A Bíblia é a verdade que você precisa conhecer, pois ela é boca de Deus falando com Seu povo, é ela que testifica que Jesus é o nosso Salvador, e Ele, Jesus Cristo, é o caminho, a verdade e a vida [23], e conhecendo essa verdade, que é Cristo, é que o homem conseguirá se libertar de todos os enganos que estão diante de seus olhos. Você precisa conhecer as Sagradas Escrituras para não deixar-se guiar pela sabedoria humana ou até mesmo por espíritos demoníacos enganadores – demônios, que estão desviando a muitos do caminho da Salvação.


*******

"Não a nós, Senhor, nenhuma glória para nós, mas sim ao teu nome." [Sl 115.1]





[1] Romanos 15:4
[2] II Timóteo 3:16,17
[3] Salmos 119:18
[4] Provérbios 16:25
[5] Romanos 2:19-20
[6] Marcos 8:36
[7] Jeremias 5:22
[8] Oseias 4:6
[9] Levítico 19:31
[10] Levítico 20:6
[11] Levítico 20:27
[12] Deuteronômio 18:9-14
[13] I Samuel 13:13
[14] I Samuel 15:22,23
[15] I Samuel 16:14
[16] I Samuel 3:7
[17] I Samuel 3:19
[18] I Samuel 3:20
[19] João 11
[20] Lucas 8
[21] Atos 13:30
[22] I Tessalonicenses 4:16
[23] João 14:6

0 comentários:

Postar um comentário